A Coroa do Advento: entenda o significado


Na Igreja Católica o período de quatro semanas preparatórias para o Natal é chamado Advento. O termo é cristão, mas de origem profana, pois significa visita oficial de uma personagem importante no tempo da sua posse. Nos escritos cristãos dos primeiros séculos torna-se termo clássico para designar a vinda de Cristo. A história do Advento, no rito romano, começa no século Vl, no sentido de espera jubilosa do Natal, e a sua pré-história remonta às Gálias e à Espanha dos fins do século lV, como preparação ascética para Natal-Epifania. A liturgia romana dá grande valor à Mãe de Cristo, tanto no Advento como  no Natal. O tempo do Advento tem dupla índole: 1. é o tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus; 2. é o tempo em que, por esta comemoração, as mentes se voltam para a expectação da segunda vinda de Cristo. Por essas razões, o tempo de advento se apresenta como o tempo de devota e alegre expectativa. O Advento é caracterizado, sobretudo pela ideia do encontro com Deus, e a realização da promessa de sua irrestrita presença entre nós. Cada ano, no tempo do Advento, a Igreja Católica apresenta a “Coroa do Advento”. A coroa com lugares para quatro velas é frequentemente enfeitada com ramos verdes, e com fitas coloridas. A cada domingo acende-se mais uma vela, até completar a coroa toda.

Na missa do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo pode-se acender mais uma vela na Coroa um pouco mais alto do que as outras quatro velas indicando a chegada de Jesus, a luz do mundo. Deus nasce no meio de nós, feito homem como nós. Traz consigo a plenitude da divindade. As quatro velas da Coroa do Advento retomam o costume judaico de celebrar a vida da luz na humanidade dispersa pelos quatro pontos cardeais.

Por Frei Ladi, ofm