Natal: orações, agradecimentos e sorrisos na Matriz Santa Inês

25 de dezembro de 2018, 10h. A chuva caia silenciosa do lado de fora da Igreja. Naquela manhã, tudo era silêncio, conforto e mansidão. Os fiéis iam chegando aos poucos e, ao entrarem na Matriz, logo olhavam com um ar de surpresa para o presépio, montado embaixo do altar da Palavra. Simples, humilde e pequeno, a cena do nascimento do homem mais importante da história, lembrava a todos que Deus veio em nome dos mais humildes. Já nos fundos da igreja, o que chamava a atenção era a grande árvore de natal posicionada ao lado do sacrário, que atraía inúmeras fotos e lembrava a cada um, toda a glória de Deus, que habitou em nosso meio.
O sino toca, o silêncio paira sobre a matriz e o comentarista inicia a celebração convidando à todos para saudarem o próximo com um Feliz Natal. Em fração de segundos, milhares de sorrisos se abrem, abraços são distribuídos e desconhecidos se cumprimentam como se fossem irmãos, afinal é isso que somos na casa do Pai. A missa começa. Frei Ladi mostra uma grande alegria em estar celebrando a solenidade e já como um dos primeiros atos, convida todos a cantarem o hino de louvor. As sinetas tocam, as pessoas sorriem e acenam com os braços. Contemplando essa cena, pode-se dizer: É natal!
Na homilia, o celebrante destacou o quão grande é o amor de Deus, que se fez uma criança para mostrar aos homens toda a sua ternura. Muitas pessoas escutam as palavras olhando para o presépio e contemplando a imagem do Menino Jesus, como se tentassem entender como um Ser tão poderoso tinha se tornado tão frágil. E a resposta veio na hora da consagração. Da mesma forma que Deus se fez criança, Ele também se faz Eucaristia, para vir ao nosso encontro e nos revestir de seu amor. Frei Ladi incentiva as pessoas a cantarem “Noite Feliz”, lembrando que feliz é aquele que ama segundo Jesus nos ensinou.
A comunidade entoa a canção suavemente. Muitos com as mãos postas e olhos cheios d’água fixos no presépio. Momentos depois, essas mesmas pessoas comungam o próprio Corpo e Sangue de Cristo e fazem suas orações contemplando a imagem do Menino Jesus, como de depositassem aos pés da manjedoura todas as suas aflições, problemas e dificuldades da caminhada. Antes da bênção final, as crianças da catequese apresentam um pequeno teatro: pai e filha conversam sobre o verdadeiro sentido do Natal, enquanto anjos decoram uma árvore posicionada no centro do presbitério.
Com a árvore decorada, a comunidade recebe a Sagrada Família de Nazaré, que entra serenamente e logo é aplaudida com vigor e entusiasmo. A celebração é encerrada com uma bênção especial e, mesmo após este momento, o clima de alegria continua transbordando dos corações. Pessoas se aproximam para tirarem uma foto com a Sagrada Família. Cláudia – idealizadora da encenação de Natal – comemora a participação de seu filho, de apenas um ano e meio, na apresentação e, ao lado de outras catequistas, já planeja como o nascimento de Jesus será retratado no próximo ano.
Essa foi apenas uma das sete missas que celebraram a Solenidade do Natal do Senhor na Matriz Santa Inês. Ao total, sete mil pessoas estiverem presentes nas missas que foram celebradas na noite do dia 24 e durante o dia 25. Quem esteve na igreja, saiu de lá com o coração cheio de luz para espalhar ao mundo, afinal, assim como dizia a encenação feita após a comunhão, o Natal está em cada gesto de caridade que se faz ao longo do ano.

Por Luiz Turati

Fotos Nathan Pereira