Liturgia Diária

SÁBADO DA 15ª SEMANA - TEMPO COMUM

Cobiçam campos, e tomam-nos com violência,
cobiçam casas, e roubam-nas.
Leitura da Profecia de Miquéias 2, 1-5
Ai dos que tramam a iniqüidade e se ocupam de maldades ainda em seus leitos! Ao amanhecer do dia, executam tudo o que está em poder de suas mãos.
Cobiçam campos, e tomam-nos com violência, cobiçam casas, e roubam-nas. Oprimem o dono e sua casa, o proprietário e seus bens.
Isto diz o Senhor: 'Eis que tenciono enviar sobre esta geração perversa uma desgraça de onde não livrareis vossos pescoços; não podereis andar de cabeça erguida, porque serão tempos desastrosos.
Naquele dia, sereis assunto de uma alegoria, de uma canção triste que diz: 'Fomos inteiramente devastados; a parte de meu povo que passou a outro por ninguém lhe será restituída; os nossos campos são repartidos entre infiéis. `
Por isso, não terás na assembléia do Senhor quem meça com cordel as porções consignadas por sorte. '
Palavra do Senhor.
O Senhor não se esquece do clamor dos aflitos.
Ó Senhor, por que ficais assim tão longe, / e, no tempo da aflição, vos escondeis, enquanto o pecador se ensoberbece, / o pobre sofre e cai no laço do malvado?
R.
O ímpio se gloria em seus excessos, / blasfema o avarento e vos despreza; em seu orgulho ele diz: 'Não há castigo! / Deus não existe!'
R.
Só há maldade e violência em sua boca, / em sua língua, só mentira e falsidade. Arma emboscadas nas saídas das aldeias, / mata inocentes em lugares escondidos.
R.
Vós, porém, vedes a dor e o sofrimento, / vós olhais e tomais tudo em vossas mãos! / A vós o pobre se abandona confiante, / sois dos órfãos vigilante protetor.
R.
E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era,
para se cumprir o que foi dito.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 12, 14-21
Naquele tempo:
Os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus.
Ao saber disso, Jesus retirou-se dali. Grandes multidões o seguiram, e ele curou a todos.
E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era,
para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías:
'Eis o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual coloco a minha afeição; porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará às nações o direito.
Ele não discutirá, nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças.
Não quebrará o caniço rachado, nem apagará o pavio que ainda fumega, até que faça triunfar o direito.
Em seu nome as nações depositarão a sua esperança. '
Palavra da Salvação.

SÃO LOURENÇO DE BRÍNDISI, PRESB. E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL

Pregamos a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós,
apresentamo-nos como servos vossos por causa de Jesus.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 4, 1-2. 5-7
Irmãos:
Não desanimamos no exercício deste ministério que recebemos da misericórdia divina.
Rejeitamos todo procedimento dissimulado e indigno, feito de astúcias, e não falsificamos a palavra de Deus. Mas, pelo contrário, manifestamos a verdade e, assim, nos recomendamos a toda consciência humana, diante de Deus.
De fato, não nos pregamos a nós mesmos, pregamos a Jesus Cristo, o Senhor. Quanto a nós, apresentamo-nos como servos vossos, por causa de Jesus.
Com efeito, Deus que disse: 'Do meio das trevas brilhe a luz', é o mesmo que fez brilhar a sua luz em nossos corações, para tornar claro o conhecimento da sua glória na face de Cristo.
Ora, trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós.
Palavra do Senhor.
Eis que venho fazer com prazer a vossa vontade, Senhor!
Esperando, esperei no Senhor, / e inclinando-se, ouviu meu clamor. Canto novo ele pôs em meus lábios, um poema em louvor ao Senho
R.
Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas, / holocaustos por nossos pecados, e então eu vos disse: 'Eis que venho!'
R.
Sobre mim está escrito no livro: 'Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!'
R.
Boas-novas de vossa justiça / anunciei numa grande assembléia; / vós sabeis: não fechei os meus lábios!
R.
O semeador saiu a semear.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 4, 1-10. 13-20
Naquele tempo,
Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galiléia. Uma multidão muito grande se reuniu em volta dele, de modo que Jesus entrou numa barca e se sentou, enquanto a multidão permanecia junto às margens, na praia.
Jesus ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. E, em seu ensinamento, dizia-lhes:
'Escutai! O semeador saiu a semear.
Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; vieram os pássaros e a comeram.
Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda,
mas, quando saiu o sol, ela foi queimada; e, como não tinha raiz, secou.
Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto.
Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, que foi crescendo e aumentando, chegando a render trinta, sessenta e até cem por um'.
E Jesus dizia: 'Quem tem ouvidos para ouvir, ouça'.
Quando ficou sozinho, os que estavam com ele, junto com os Doze, perguntaram sobre as parábolas.
E lhes disse: 'Vós não compreendeis esta parábola? Então, como compreendereis todas as outras parábolas?
O semeador semeia a Palavra.
Os que estão à beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada.
Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria,
mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição, por causa da Palavra, logo desistem.
Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra;
mas quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto.
Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom, são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um'.
Palavra da Salvação.