Liturgia Diária

2ª-FEIRA DA 17ª SEMANA - TEMPO COMUM

Este povo será como este cinto
que não serve mais para nada.
Leitura do Livro do Profeta Jeremias 13, 1-11
Isto disse-me o Senhor: 'Vai comprar um cinto de linho e põe-no em torno da cintura, mas não o deixes molhar na água'.
Comprei o cinto, conforme a ordem do Senhor, e coloquei-o à cintura.
E a palavra do Senhor dirigiu-se a mim pela segunda vez, dizendo:
'Toma o cinto que compraste e tens à cintura, levanta-te e vai ao Eufrates, esconde-o lá na fenda de uma pedra. '
Fui e o escondi perto do Eufrates, conforme mandara o Senhor.
Ora, ao cabo de muitos dias, disse-me o Senhor: 'Levanta-te, vai ao Eufrates, e retira de lá o cinto que te mandei esconder'.
Fui ao Eufrates, cavei e retirei o cinto do lugar, onde o tinha escondido; mas eis que o cinto tinha apodrecido tanto que não servia mais para nada.
E a palavra do Senhor dirigiu-se a mim, dizendo:
'Isto diz o Senhor: Assim farei apodrecer a grande soberba de Judá e de Jerusalém;
este povo perverso, que se recusa a ouvir minhas palavras, convive com a maldade no coração, e vai atrás de deuses estrangeiros, prestando-lhes culto e prostrando-se diante deles, será como este cinto que não serve mais para nada.
Pois assim como o cinto se une à cintura do homem, assim quis eu que toda a casa de Israel e toda a casa de Judá se unissem a mim, diz o Senhor, para ser meu povo, honra do meu nome, louvor e glória. Mas não ouviram. '
Palavra do Senhor.
Esqueceram o Deus que os gerou.
Desprezastes o Rochedo que te gerou, / esquecestes o Deus que te criou. E o Senhor viu e se irritou, / aborrecido com seus filhos e filhas.
R.
E disse: Esconderei deles meu rosto, / e verei qual será seu fim. / Pois são uma geração perversa, / filhos sem lealdade.
R.
Eles me provocaram com coisas, que não são deus, / irritaram-me com seus ídolos. / Também os provocarei com quem não é povo / e os irritarei com gente insensata.
R.
O grão de mostrarda torna-se uma árvore,
de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13, 31-35
Naquele tempo:
Jesus contou-lhes outra parábola: 'O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo.
Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos. '
Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola: 'O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado. '
Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas,
para se cumprir o que foi dito pelo profeta: 'Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo'.
Palavra da Salvação.

SÃO PEDRO CRISÓLOGO, BISPO E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL

Anunciar aos pagãos
a insondável riqueza de Cristo.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 3, 8-12
Irmãos:
Eu, que sou o último de todos os santos, recebi esta graça de anunciar aos pagãos a insondável riqueza de Cristo
e de mostrar a todos como Deus realiza o mistério desde sempre escondido nele, o criador do universo.
Assim, doravante, as autoridades e poderes nos céus conhecem, graças à Igreja, a multiforme sabedoria de Deus,
de acordo com o desígnio eterno que ele executou em Jesus Cristo, nosso Senhor.
Em Cristo nós temos, pela fé nele, a liberdade de nos aproximarmos de Deus com toda a confiança.
Palavra do Senhor.
Ó Senhor, ensinai-me os vossos mandamentos!
Como um jovem poderá ter vida pura? / Observando, ó Senhor, vossa palavra.
R.
De todo o coração eu vos procuro, / não deixeis que eu abandone a vossa lei!
R.
Conservei no coração vossas palavras, / a fim de eu não peque contra vós.
R.
Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; / os vossos mandamentos ensinai-me!
R.
Com meus lábios, ó Senhor, eu enumero / os decretos que ditou a vossa boca.
R.
Seguindo vossa lei me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas.
R.
A boca fala do que o coração está cheio.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 6, 43-45
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
'Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons.
Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas.
O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio'.
Palavra da Salvação.