Liturgia Diária

33º DOMINGO - TEMPO COMUM

Com habilidade trabalham as suas mãos.
Leitura do Livro dos Provérbios 31, 10-13. 19-20. 30-31
Uma mulher forte, quem a encontrará? Ela vale muito mais do que as jóias.
Seu marido confia nela plenamente, e não terá falta de recursos.
Ela lhe dá só alegria e nenhum desgosto, todos os dias de sua vida.
Procura ló e linho, e com habilidade trabalham as suas mãos.
Estende a mão para a roca e seus dedos seguram o fuso.
Abre suas mãos ao necessitado e estende suas mãos ao pobre.
O encanto é enganador e a beleza é passageira; a mulher que teme ao Senhor, essa sim, merece louvor.
Proclamem o êxito de suas mãos, e na praça louvem-na as suas obras!
Palavra do Senhor.
Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!
Feliz és tu se temes o Senhor / e trilhas seus caminhos!Do trabalho de tuas mãos hás de viver, / serás feliz, tudo irá bem!
R.
A tua esposa é uma videira bem fecunda / no coração da tua casa; / os teus filhos são rebentos de oliveira / ao redor de tua mesa.
R.
Será assim abençoado todo homem / que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião, / cada dia de tua vida; / para que vejas prosperar Jerusalém.
R.
Que esse dia não vos surpreenda como um ladrão.
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses 5, 1-6
Quanto ao tempo e à hora, meus irmãos, não há por que vos escrever.
Vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como ladrão, de noite.
Quando as pessoas disserem: 'Paz e segurança!', então de repente sobrevirá a destruição, como as dores de parto sobre a mulher grávida. E não poderão escapar.
Mas vós, meus irmãos, não estais nas trevas, de modo que esse dia vos surpreenda como um ladrão.
Todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite, nem das trevas.
Portanto, não durmamos, como os outros, mas sejamos vigilantes e sóbrios.
Palavra do Senhor.
Como foste fiel na administração de tão
pouco, vem participar de minha alegria.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 25, 14-30
Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos:
Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens.
A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou.
O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles, e lucrou outros cinco.
Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois.
Mas aquele que havia recebido um só, saiu, cavou um buraco na terra, e escondeu o dinheiro do seu patrão.
Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados.
O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: `Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei'.
O patrão lhe disse: `Muito bem, servo bom e fiel! como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!'
Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: `Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei'.
O patrão lhe disse: `Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!'
Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: `Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste.
Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence'.
O patrão lhe respondeu: `Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei?
Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence. '
Em seguida, o patrão ordenou: `Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez!
Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado.
Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!'
Palavra da Salvação.

SANTO ALBERTO MAGNO, BISPO E DOUTOR DA IGREJA - SANTORAL

Ela o encherá do espírito de sabedoria e inteligência.
Leitura do Livro do Eclesiástico 15, 1-6
Quem teme a Deus, faz o bem; e quem observa a lei, consegue a sabedoria.
Ela vem aos seu encontro como mãe venerada, e como jovem esposa o abraça.
Ela o alimenta com o pão da vida e do entendimento e lhe dá de beber a água da salutar sabedoria. Nela ele se apóia e não cai;
confia nela e não será enganado. Ela o eleva entre seus companheiros
e faz com que ele tome a palavra no meio da assembléia. Ela o encherá do espírito de sabedoria e inteligência, e o cobrirá com o manto da glória.
Ele encontra a felicidade e uma coroa de alegria e ainda terá, como herança, um nome imortal.
Palavra do Senhor.
Ó Senhor, ensinai-me os vossos mandamentos!
Como um jovem poderá ter vida pura? / Observando, ó Senhor, vossa palavra.
R.
De todo o coração eu vos procuro, / não deixeis que eu abandone a vossa lei!
R.
Conservei no coração vossas palavras, / a fim de eu não peque contra vós.
R.
Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; / os vossos mandamentos ensinai-me!
R.
Com meus lábios, ó Senhor, eu enumero / os decretos que ditou a vossa boca.
R.
Seguindo vossa lei me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas.
R.
Coisas novas e velhas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 13, 47-52
Naquele tempo, disse Jesus à multidão:
'O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo.
Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam.
Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos,
e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes.
Compreendestes tudo isso?' Eles responderam: 'Sim'.
Então Jesus acrescentou: 'Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas'.
Palavra da Salvação.